Git
Português (Brasil) ▾ Topics ▾ Latest version ▾ git-archimport last updated in 2.33.1

NOME

git-archimport - Importe um repositório do GNU Arch para o Git

RESUMO

git archimport [-h] [-v] [-o] [-a] [-f] [-T] [-D profundidade] [-t tempdir]
               <arquivo/ramo>[:<git-branch>] …​

DESCRIÇÃO

Importa um projeto de um ou mais repositórios do GNU Arch. Ele seguirá as ramificações e repositórios dentro dos espaço de nomes definidos através do parâmetro <arquivo/ramo> informado. Caso ele não consiga encontrar o ramo remoto, a mesclagem será importada apenas como um commit normal. Caso possa localizá-lo, será marcado como uma mesclagem sempre que for possível (consulte a discussão abaixo).

O script espera que você informe as principais raízes nas quais ele possa iniciar a importação inicial ou tag do commit do Arch. Ele seguirá e importará as novas ramificações dentro das raízes informadas.

Ele espera lidar apenas com um projeto apenas. Caso veja ramificações com raízes diferentes, a execução será impedida de prosseguir. Nesse caso, edite os parâmetros <arquivo/ramo> para definir claramente o escopo da importação.

O comando git archimport utiliza o tla em segundo plano de forma exclusiva para acessar o repositório Arch. Verifique se você tem uma versão recente do tla disponível no caminho. O tla deve saber sobre os repositórios que você passa ao git archimport.

Para a importação inicial, o comando git archimport espera se encontrar em um diretório vazio. Para acompanhar o desenvolvimento de um projeto que utilize o Arch, execute novamente o comando git archimport com os mesmos parâmetros que a importação inicial para que as importações incrementais possam ser executadas.

Enquanto o git archimport tentará criar os nomes exatos das ramificações para os arquivos importados, também é possível especificar os nomes das ramificações do Git manualmente. Para fazer isso, escreva um nome do ramo Git após cada parâmetro <arquivo/ramo>, separado por dois pontos. Dessa forma, você pode encurtar os nomes das ramificações do Arch e converter o jargão do Arch para o Git mapeando uma ramificação "PROJECT--devo--VERSION" para "master" por exemplo.

É possível associar as várias ramificações do Arch em uma ramificação do Git; o resultado fará mais sentido quando nenhum commit for feito na primeira ramificação, depois que o segundo ramo for criado. Ainda assim, é útil para converter os repositórios do Arch que foram rotacionados periodicamente.

MESCLAGENS

Os dados da mesclagem dos patches do Arch também são utilizados para marcar as mesclagens no Git. O Git não se importa muito com o rastreamento do patches, apenas considera uma mesclagem quando um ramo incorpora todos os commits desde o ponto em que eles foram bifurcados. O resultado final é que o Git terá uma boa ideia de quão longe as ramificações divergem. Portanto, o processo de importação perde alguns metadados durante a negociação dos patches.

Felizmente, quando você tenta mesclar as ramificações importadas do Arch, o Git encontrará uma boa base para a mesclagem e tem uma boa chance de identificar quais os patches foram trocados fora da sequência entre os ramos.

OPÇÕES

-h

Exiba a utilização.

-v

Saída detalhada.

-T

Muitas tags. Criará uma tag para cada commit, refletindo o nome do commit no repositório do Arch.

-f

Use a estratégia de importação rápida no conjunto dos patches. Isso pode acelerar o processo significativamente em árvores muito grandes, no entanto não pode lidar com as renomeações dos diretórios ou das alterações das permissões. A estratégia predefinida é lenta e segura.

-o

Use isso para ter a compatibilidade com os nomes das ramificações do estilo antigo utilizados pelas versões anteriores ao comando git archimport. Os nomes das ramificações no estilo antigo foram as ramificações da categoria --, enquanto os nomes das ramificações no novo estilo são "archive", category--branch--version. Nos dois casos, os nomes dos fornecidos na linha de comando substituirão os que forem gerados automaticamente.

-D <profundidade>

Siga a mesclagem de ascendência e tente importar as árvores das quais foram mescladas. Informe uma profundidade maior que 1 caso os registros logs do patch tenham sido removidos.

-a

Tente registrar automaticamente os arquivos em http://mirrors.sourcecontrol.net muito útil se utilizado com a opção -D.

-t <tmpdir>

Sobrescreve o diretório temporário predefinido.

<arquivo/ramo>

Identificador do arquivo/ramo em um formato que o tla log compreenda.

GIT

Parte do conjunto git[1]