Git
Português (Brasil) ▾ Topics ▾ Latest version ▾ git-rm last updated in 2.33.0

NOME

git-rm - Remove os arquivos da árvore de trabalho e do índice

RESUMO

git rm [-f | --force] [-n] [-r] [--cached] [--ignore-unmatch]
	  [--quiet] [--pathspec-from-file=<arquivo> [--pathspec-file-nul]]
	  [--] [<pathspec>…​]

DESCRIÇÃO

Remove os arquivos correspondentes ao pathspec do índice, ou da árvore de trabalho e do índice. O comando git rm não removerá um arquivo apenas do seu diretório de trabalho. (Não há opção para remover um arquivo apenas da árvore de trabalho e ainda mantê-lo no índice; utilize /bin/rm caso queira fazer isso.) Os arquivos que estão sendo removidos devem ser idênticos ao cume do ramo e nenhuma atualização do seu conteúdo pode ser preparada no índice, embora este comportamento predefinido possa ser substituído pela opção -f `. Quando `--cached é utilizado, o conteúdo escalonado deve corresponder ao cume do ramo ou ao arquivo no disco, permitindo que o arquivo seja removido no índice apenas.

OPÇÕES

<pathspec>…​

Arquivos para serem removidos. Um nome do diretório principal (por exemplo, dir para remover dir/arquivo1 e dir/arquivo2) pode ser utilizadopara remover todos os arquivos do diretório e recursivamente de todos os subdiretórios, porém isso requer o uso da opção -r de forma explicita.

O comando remove apenas os caminhos que sejam informados pelo Git.

As coincidência do mascaramento do nome do arquivo através dos limites do diretório. Assim, os dados dos dois diretórios d e d2, existe uma diferença entre o uso do comando git rm 'd*' e git rm 'd/*', pois o primeiro também removerá todo o diretório d2 .

Para mais detalhes sobre a sintaxe <pathspec>, veja a entrada pathspec em gitglossary[7].

-f
--force

Substitua a verificação atualizada.

-n
--dry-run

Na verdade, não remova nenhum arquivo. Em vez disso, exiba apenas se eles existem no índice e caso contrário, seriam removidos pelo comando.

-r

Permita a remoção recursiva quando um nome do diretório principal for informado.

--

Esta opção pode ser utilizada para separar as opções da linha de comandos da lista dos arquivos (útil quando os nomes do arquivo puderem ser confundidos com as opções da linha de comando).

--cached

Utilize esta opção para desestabilizar e remover os caminhos do índice apenas. Os arquivos da árvore de trabalho, modificados ou não, serão deixados em paz.

--ignore-unmatch

Encerre com uma condição zero, ainda que não haja a coincidência com nenhum arquivo.

-q
--quiet

O comando git rm normalmente gera uma linha (na forma de um comando rm) para cada arquivo removido. Esta opção suprime essa saída.

--pathspec-from-file=<arquivo>

O "pathspec" é passado com <arquivo> em vez dos argumentos da linha de comando. Caso o <arquivo> seja exatamente -, a entrada padrão será utilizada. Os elementos do "pathspec" são separados por caracteres de término de linha LF ou CR/LF. Os elementos do "pathspec" podem ser citados conforme explicado na variável de configuração core.quotePath (consulte git-config[1]). Consulte também opção --pathspec-file-nul e o global --literal-pathspecs.

--pathspec-file-nul

Só faz algum sentido caso seja utilizado junto com a opção --pathspec-from-file. Os elementos "pathspec" são separados com caracteres NUL e todos os outros caracteres são considerados de forma literal (incluindo as novas linhas e as citações).

REMOVENDO OS ARQUIVOS QUE DESAPARECERAM DO SISTEMA DE ARQUIVOS

Não há uma opção para o comando git rm para remover do índice apenas os caminhos que desapareceram do sistema de arquivos. No entanto, dependendo do caso, há várias maneiras de se fazer isso.

Utilizando o git commit -a

Caso tenha pretensão de que o seu próximo commit registre todas as modificações dos arquivos rastreados na árvore de trabalho e registre todas as remoções dos arquivos que foram removidos da árvore de trabalho com rm (ao contrário de git rm), utilize git commit -a, pois alertará e registrará automaticamente todas as remoções. É possível ter também um efeito semelhante sem fazer um commit utilizando o comando git add -u.

Utilizando git add -A

Ao aceitar um novo código para o fornecedor de um ramo, você provavelmente deseja registrar a remoção dos caminhos e as adições dos novos caminhos, bem como as modificações dos caminhos já existentes.

Normalmente, você primeiro remove todos os arquivos rastreados da árvore de trabalho utilizando este comando:

git ls-files -z | xargs -0 rm -f

e descompacte o novo código na árvore de trabalho. Como alternativa, você pode usar o comando rsync nas alterações na árvore de trabalho.

Depois disso, a maneira mais fácil de registrar todas as remoções, adições e modificações na árvore de trabalho é:

git add -A

Consulte git-add[1].

Outras maneiras

Se tudo o que você realmente deseja é remover do índice os arquivos que não estão mais presentes na árvore de trabalho (talvez porque a sua árvore de trabalho esteja suja e você não possa usar o comando git commit -a), utilize o seguinte comando:

git diff --name-only --diff-filter=D -z | xargs -0 git rm --cached

SUBMÓDULOS

Somente os submódulos que usam um arquivo git (o que significa que foram clonados com uma versão 1.7.8 ou mais recente do Git) serão removidos da árvore de trabalho, pois seu repositório vive dentro do diretório .git do superproject. Caso um submódulo (ou um dos aninhados dentro dele) ainda utilize um diretório .git, git rm moverá o diretório dos submódulos git para o diretório superprojects git para proteger o histórico do submódulo. Caso exista a seção submodule.<nome> no arquivo gitmodules[5] também será removido e esse arquivo será preparado (a menos que --cached ou -n sejam utilizados).

Um submódulo é considerado atualizado quando HEAD for o mesmo que o registrado no índice, nenhum arquivo rastreado é modificado e nenhum arquivo que não for rastreado não é ignorado, está presente na árvore de trabalho do submódulo. Os arquivos ignorados são considerados dispensáveis e não impedem que a árvore de trabalho de um submódulo seja removida.

Caso queira remover apenas a averiguação local de um submódulo vindo da sua árvore de trabalho sem fazer o commit de remoção, em vez disso utilize o git-submodule[1] deinit. Para obter mais detalhes sobre a remoção do submódulo, veja também gitsubmodules[7].

EXEMPLOS

git rm Documentation/\*.txt

Remove todos os arquivos * .txt do índice que estão no diretório Documentation e em qualquer um dos seus subdiretórios.

Note que o asterisco * é citado no shell neste exemplo; isso permite que o Git e não o shell, expanda os nomes dos caminhos dos arquivos e subdiretórios no diretório Documentation/.

git rm -f git-*.sh

Como este exemplo permite que o shell expanda o asterisco (ou seja, você está listando os arquivos explicitamente), ele não considera o subdir/git-foo.sh.

BUGS

Sempre que uma atualização do superproject remove um submódulo preenchido (por exemplo, ao alternar entre commits antes e após a remoção), um checkout obsoleto do submódulo permanece no local antigo. A remoção do diretório antigo só é segura quando ele usa um gitfile; caso contrário, o histórico do submódulo também será excluído. Esta etapa será obsoleta quando a atualização recursiva do submódulo for implementada.

VEJA TAMBÉM

GIT

Parte do conjunto git[1]