Git
Português (Brasil) ▾ Topics ▾ Latest version ▾ git-remote last updated in 2.33.0

NOME

git-remote - Gerencie o conjunto dos repositórios monitorados

RESUMO

git remote [-v | --verbose]
git remote add [-t <ramo>] [-m <master>] [-f] [--[no-]tags] [--mirror=<fetch|push>] <nome> <url>
git remote rename <antigo> <novo>
git remote remove <nome>
git remote set-head <nome> (-a | --auto | -d | --delete | <ramo>)
git remote set-branches [--add] <nome> <ramo>…​
git remote get-url [--push] [--all] <nome>
git remote set-url [--push] <nome> <newurl> [<oldurl>]
git remote set-url --add [--push] <nome> <newurl>
git remote set-url --delete [--push] <nome> <url>
git remote [-v | --verbose] show [-n] <nome>…​
git remote prune [-n | --dry-run] <nome>…​
git remote [-v | --verbose] update [-p | --prune] [(<grupo> | <remoto>)…​]

DESCRIÇÃO

Gerencie o conjunto de repositórios ("remotos") cujos ramos você monitora.

OPÇÕES

-v
--verbose

Seja um pouco mais detalhado e exiba o endereço URL remoto após o nome. OBSERVAÇÃO: Este deve ser colocado entre remote e subcommand.

COMANDOS

Sem argumentos, exibe uma lista dos ramos remotos existentes. Vários subcomandos estão disponíveis para executar as operações nos ramos remotos.

add

Adiciona um ramo remoto chamado <nome> para o repositório na <url>. O comando git fetch <nome> pode ser utilizado para criar e atualizar os ramos monitorados remotamente <nome>/<ramo>.

Com a opção -f, o comando git fetch <nome> é executado imediatamente a informação remota seja configurada.

Com a opção --tags, o git fetch <nome> importa cada tag do repositório remoto.

Com a opção --no-tags, o git fetch <nome> não importa as tags do repositório remoto.

É predefinido que apenas as tags recolhidas dos ramos são importadas (consulte git-fetch[1]).

Com a opção -t <ramo>, em vez do glob refspec predefinido para que o ramo remoto monitore todos os ramos sob o espaço de nomes refs/remotes/<nome>/, um "refspec" para monitorar apenas o <ramo> que foi criado. Você pode utilizar mais de um -t <ramo> para monitorar várias ramificações sem monitorar todas.

Com a opção -m <master>, uma "ref" simbólica refs/remotes/<nome>/HEAD é configurado para apontar para o ramo <master> do ramo remoto. Veja também o comando set-head.

Quando um espelho de busca é criado com a opção --mirror=fetch, as refs não serão armazenados no espaço de nomes refs/remotes/, porém tudo nas refs/ no ramo remoto será espelhado diretamente na refs/ em o repositório local. Esta opção faz sentido apenas nos repositórios vazios, porque uma busca substituirá quaisquer commits locais.

Quando um espelho "push" é criado com a opção --mirror=push, então o comando git push sempre se comportará como se o --mirror fosse utilizado.

rename

Renomeie o ramo remoto chamado <old> para <novo>. Todos os ramos monitorados remotamente e as suas definições de configuração para o ramo remoto são atualizados.

Caso <antigo> e <novo> sejam iguais, e <old> seja um arquivo existente no $GIT_DIR/remotes ou $GIT_DIR/branches, o ramo remoto será convertido para o formato do arquivo de configuração.

remove
rm

Remova o ramo remoto chamado <nome>. Todos os ramos monitorados remotamente e as suas definições de configuração para o ramo remoto são atualizados.

set-head

Define ou exclui o ramo predefinido (ou seja, o destino da ref simbólica refs/remotes/<nome>/HEAD) do ramo remoto informado. Não é necessário ter um ramo remoto predefinido para o ramo remoto, porém permite que o nome do ramo remoto seja utilizado no lugar de um ramo específico. Como por exemplo, caso o ramo predefinido para origin estiver definido como master, então origin poderá ser definido onde quer que você normalmente definiria origin/master.

Com -d ou --delete, a referência simbólica refs/remotes/<nome>/HEAD é excluída.

Com -a ou --auto, o ramo remoto é consultado para determinar o seu HEAD, então a referência simbólica refs/remotes/<nome>/HEAD é definida no mesmo ramo. Como por exemplo, caso o HEAD remoto aponte para next, o comando "git remote set-head origin -a" definirá a referência remota refs/remotes/origin/HEAD para refs/remotes/origin/next. Isso só funcionará caso o refs/remotes/origin/next já existir; caso contrário, deve ser buscado (fetched) primeiro.

Utilize o <ramo> para definir explicitamente a referência simbólica refs/remotes/<nome>/HEAD. Como por exemplo, o comando "git remote set-head origin master" definirá a referência remota refs/remotes/origin/HEAD para refs/remotes/origin/master. Isso só funcionará caso o refs/remotes/origin/master já existir; caso contrário, deve ser buscado (fetched) primeiro.

set-branches

Altera a lista das ramificações monitoradas pelo ramo remoto informado. Pode ser utilizado para monitorar um subconjunto das ramificações remotas disponíveis após a configuração inicial de um ramo remoto.

Os ramos informados serão interpretados como se fossem definidos com a opção -t na linha de comando git remote add.

Com --add, em vez de substituir a lista das ramificações monitoradas no momento, será adicionada a lista.

get-url

Recupera as URLs para um ramo remoto. As configurações para o ratherOf e pushInsteadOf são expandidas aqui. É predefinido que, apenas a primeira URL é listada.

Com o --push, as URLs push são apenas consultadas em vez de buscar as URLs.

Com --all, todas as URLs para o ramo remoto serão listadas.

set-url

Altera as URLs para o ramo remoto. Define a primeira URL para o <nome> remoto que coincida com à regex <oldurl> (primeira URL caso nenhuma <oldurl> seja informada) como <newurl>. Caso <oldurl> não coincida com nenhuma URL, ocorrerá um erro e nada será alterado.

Com o --push, as URLs push são manipuladas em vez de buscar as URLs.

Com --add, em vez de alterar as URLs existentes, uma nova URL é adicionada.

Com --delete, em vez de alterar as URLs existentes, todas as URLs coincidentes à expressão regular <url> são excluídas para o ramo remoto <nome>. Tentar excluir todas as URLs não push é um erro.

Observe que a URL de envio e a URL de busca, mesmo que possam ser definidos de maneira diferente, ainda devem se referir ao mesmo local. O que você impulsionou para a URL de envio deve ser o que você veria se buscasse imediatamente a URL de busca. Caso esteja tentando buscar de um lugar (como por exemplo, a sua "upstream") e enviar para outro (como por exemplo, o seu repositório de publicação), utilize dois ramos remotos separados.

show

Fornece algumas informações sobre o ramo remoto <nome>.

Com a opção -n, os cabeçalhos remotos não são consultadas primeiro com o comando git ls remote; as informações em cache são utilizadas em vez disso.

prune

Exclui as referências antigas associadas com <nome>. É predefinido que as ramificações antigas monitoradas remotamente sob <nome> são excluídas, porém, dependendo da configuração global e da configuração do ramo remoto, podemos até remover as tags locais que não foram enviadas para lá. É o equivalente ao comando git fetch --prune <nome>, exceto que nenhuma nova referência será buscada.

Veja a seção PRUNING do git-fetch[1] para saber o que será removido dependendo das várias configurações.

Com a opção --dry-run, relate quais os ramos serão eliminados, mas na verdade não os eliminem.

update

A captura das atualizações remoras ou em grupos remotos no repositório como definido em remotes.<grupo>. Caso nenhum grupo local ou remoto seja especificado na linha de comandos, o parâmetro remotes.default será utilizado; caso remotes.default não esteja definido, todos os remotos que não possuem o parâmetro da configuração remote.<nome>.skipDefaultUpdate definido como true serão atualizados. (Consulte git-config[1]).

Com a opção --prune, execute a poda em todos os ramos remotos que estão atualizados.

DISCUSSÃO

A configuração remota é arquivada utilizando as configurações das variáveis remote.origin.url e remote.origin.fetch. (Consulte git-config[1]).

EXEMPLOS

  • Adicione um novo ramo remoto, busque e averigue um ramo dele

    $ git remote
    origin
    $ git branch -r
      origin/HEAD -> origin/master
      origin/master
    $ git remote add staging git://git.kernel.org/.../gregkh/staging.git
    $ git remote
    origin
    staging
    $ git fetch staging
    ...
    Do git://git.kernel.org/pub/scm/linux/kernel/git/gregkh/staging
     * [new branch]      master     -> staging/master
     * [new branch]      staging-linus -> staging/staging-linus
     * [new branch]      staging-next -> staging/staging-next
    $ git branch -r
      origin/HEAD -> origin/master
      origin/master
      staging/master
      staging/staging-linus
      staging/staging-next
    $ git switch -c staging staging/master
    ...
  • Imite o comando git clone, porém monitore apenas os ramos selecionados

    $ mkdir project.git
    $ cd project.git
    $ git init
    $ git remote add -f -t master -m master origin git://example.com/git.git/
    $ git merge origin

GIT

Parte do conjunto git[1]